Fechar

Fale com um consultor online:

Entre em contato
MENU
21/07/2020

Renda ideal para ter o seu apartamento em Piracicaba

Renda ideal para ter o seu apartamento em Piracicaba

O sonho de conquistar o próprio lar está mais próximo para milhares de brasileiros que, ao perceberem ter renda ideal para financiamentos, procuraram soluções para sair do aluguel.

 

De acordo com dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), entre janeiro e maio de 2019 foram financiados 106.904 imóveis no país; no mesmo período de 2020, o número aumento para 127.550 unidades, um  salto de 19,3%.

 

Um dos pontos que impulsiona essa decisão de compra mesmo em meio a um período delicado pelo qual todas as economias mundiais estão passando é a queda da taxa de juros.

 

A Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia), principal referência para a cobrança de juros do Brasil, por exemplo, está em patamar históricos de queda, chegando a 2,25% (divulgado em junho de 2020). Em meados de 2015 e 2016, a taxa estava fixada em 14,25. Essa mesma situação acontece com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), que também é utilizado no mercado imobiliário.

 

Continue a leitura para entender melhor sobre quanto é preciso ganhar para ter opções de financiamento e qual a renda ideal para cada uma delas.

 

Renda Ideal

O valor máximo concedido para financiamento varia conforme a renda familiar. Ou seja, todos os membros ativos no mercado de trabalho formal são contabilizados para se definir o teto do imóvel.

 

Para se ter uma ideia, ter o seu apartamento em Piracicaba, é possível a partir de uma renda bruta mensal de R$ 2.000. Com essa renda é possível financiar um apê em residenciais que agregam qualidade de vida com diferenciais de lazer e infraestrutura.

 

Essa realidade se dá, principalmente se o empreendimento for adquirido na planta, momento em que tem o melhor preço de mercado.

 

Formas de financiamento

Existem vários fornecedores de crédito no mercado imobiliário brasileiros, desde programas até a própria construtora que não traçam apenas uma renda ideal, mas várias.

 

Minha Casa Minha Vida

A Caixa, principal financiadora do país, tem no Programa Minha Casa Minha Vida definiu quatro faixas que explicamos a seguir.

 

  • Faixa 1: Viabilizado para famílias com até R$ 1.800 de renda total e tendo o próprio imóvel como garantia, as prestações mensais são entre R$ 80 e R$ 270, o que será definido de acordo com a renda bruta familiar. Nesta modalidade, há um sorteio entre os interessados pela prefeitura da cidade em que se encontra o empreendimento. Diversos fatores sociais, como dependentes, renda e situação de moradia são levados em consideração.

 

  • Faixa 1,5: Focado em famílias com até R$ 2.600 de renda, nesta faixa temos juros de 5% ao ano com amortização (tempo de pagamento) de até 30 anos. As unidades para esta faixa dentro dos empreendimentos são limitadas e normalmente são apartamentos mais simples, sem varanda, elevador e com lazer básico. O subsídio (incentivo extra do governo) para compra do imóvel pode chegar até R$ 27,4mil, dependendo da renda e dependentes na família.

 

  • Faixa 2: Para famílias com até R$ 4.000 de renda, nesta faixa temos juros entre 5% e 6,5% ao ano com amortização de até 30 anos. Nesta faixa, encontramos projetos mais atrativos, já com elevador e lazer completos.

 

  • Faixa 3: Para famílias com até R$7.000 de renda, nesta faixa são oferecidas taxas atrativas, se comparadas a outras linhas de financiamento.

 

Para as faixas 1,5, 2 e 3, o comprador pode financiar até 80% valor do imóvel, utilizar o FGTS como entrada e não pode ter outro imóvel em seu nome. São consideradas rendas formais na análise de crédito (demonstrativo de pagamento ou imposto de renda). Rendas informações podem ser avaliadas, mas possuem normativo específico da Caixa Economica Federal.

 

Direto com a Construtora

Possibilidade que não é amplamente conhecida, o financiamento direto com a construtora responsável pelo empreendimento é o formato menos burocrático e, consequentemente, mais rápido de obter acesso ao imóvel, principalmente se já estiver pronto para morar.

 

Costuma ter taxas de juros atrativas para os compradores, o que melhora o poder de negociação se a quantidade disponível para pagar como entrada for significativa, já que a empresa é a principal interessada na venda da unidade.

 

Normalmente, está disponível para imóveis acima de R$ 300mil e para clientes com renda superior a R$ 7mil.

 

Bancos Privados

Também disponível, financiar por bancos pode ser a forma escolhida por quem tem condições especiais na instituição em que é cliente.

 

Bancos como Bradesco, Itaú Unibanco e Santander têm participação importante na concessão de crédito imobiliário do país, figurando (atrás da Caixa) como as instituições mais procuradas por quem quer sair do aluguel e adquirir o próprio lar.

 

Porém, independente da escolha, vale saber que o período é favorável. Conforme a Abecip, a maior liberação de recursos já registrada no SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) foi entre dezembro de 2018 e novembro de 2019, com R$ 70,04 bilhões para aquisição e construção de imóveis.

 

Liberação do financiamento

Para avaliar o valor do imóvel a ser financiado, as instituições de crédito costumam considerar 30% da renda familiar. Isso mesmo, afinal, há todo um custo de vida envolvido durante a quitação do valor financiado. O ganho mensal da sua família não será 100% comprometida pelo financiamento, correto?

 

Isso significa que o valor da simulação da parcela mensal será norteada por esse percentual de renda. No entanto, é importante frisar a necessidade de planejamento, pois o valor sofre alterações, aumentando no decorrer do tempo.

 

O número definido aumentará conforme a taxa de juros acordada em contrato e esse acréscimo precisa estar previsto na sua renda ideal: orçamento e no padrão de vida da família, a fim de que se adeque para cumprir com os compromissos assumidos.

 

Isso porque, ao atrasar duas prestações pelo Programa Minha Casa Minha Vida, por exemplo, é possível perder seu lar, uma vez que essa inadimplência acarretará na cobrança do valor total do imóvel. A não ter a quantia, será acionada a garantia que, neste caso, é próprio imóvel.

 

Assim, o ideal é continuar guardando dinheiro durante o pagamento do financiamento para ter recursos a qualquer necessidade familiar, sem comprometer o pagamento do financiamento.

 

Preciso ter dinheiro guardado?

Nem sempre. Há opções de parcelamento desse valor, que costuma ser de 20% do imóvel (já que os bancos costumam parcelar no máximo 80% do valor do bem). Essa opção normalmente está disponível em aquisições de apartamento na planta.

 

No entanto, há taxas de documentação e de contratação de financiamento que o comprador tem que arcar. Fora isso, ter uma quantia de dinheiro reserva sempre significa maior poder de negociação durante o processo de compra e menos tempo de financiamento o que é bem-vindo.

 

Escolha seu  apê

Depois de entender que o seu apartamento próprio é um sonho mais acessível do que imaginava, resta saber onde quer morar.

 

Como dissemos, residenciais na planta têm o melhor preço de mercado. E se considerar a infraestrutura ideal (lazer para você e seus filhos, infraestrutura para realizar festas e receber amigos, opções de bem-estar e qualidade de vida) é sempre bom optar por condomínios completos, pois eles significam diversão com segurança durante todo o dia, bem ali, a sua disposição!

 

O Terras Altas é o próximo lançamento da Embraplan e que acontecerá em breve. Ele conta com tudo o que listamos em uma região em desenvolvimento da cidade de Piracicaba. E o melhor: já é possível aprovar o financiamento para famílias com renda a partir de R$ 2.000,00. Conheça!

ESCRITO POR:Embraplan Engenharia
Embraplan Engenharia 2020. Todos os direitos reservados.